FINAL

Numa grande celebração ao mais pernambucano dos gêneros musicais, foi definido o resultado final do Festival Nacional do Frevo, na noite da última sexta-feira 13, no Teatro de Santa Isabel. O concurso musical, realizado pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura Cidade do Recife, com o apoio da Fundarpe e da Globo, teve como objetivo assegurar renovação e fôlego ao frevo, num processo que esticou a vigência do gênero musical no calendário cultural da cidade.

Prestigiada por diversos artistas e por um numeroso público, a final consagrou como primeiros colocados do Festival os frevos: No Primeiro Dia do Nosso Amor, de Lourenço Gato e Flávio Souza (com arranjo de Fábio Valois), na categoria Frevo de Bloco; Alvoroçado, de Bené Sena, na categoria Frevo de Rua; Claudionor, o Menino do Frevo, de Bráulio de Castro e João Araújo (com arranjo de Fábio Valois e interpretação de Ed Carlos), na categoria Frevo Canção; e Primeiro de Maio, de Romero Bomfim (com arranjo de Parrô Melo), na categoria Frevo Livre Instrumental – Autoral.

O prêmio de Melhor Arranjador foi entregue a Marcos FM, pelo frevo Sapecando, e o de Melhor Intérprete foi recebido pelo cantor Ed Carlos. “Foi uma honra para mim, com mais de 30 anos de carreira, puder homenagear Claudionor Germano, mestre de todos os cantores de frevo”, disse Ed Carlos, quando subiu ao palco.

Os candidatos se apresentaram acompanhados pelo coral feminino e pela orquestra regida pelo consagrado maestro Edson Rodrigues, com exceção dos finalistas da categoria Frevo Livre Instrumental – Autoral, que não tinham formação fixa.

Entre as exibições de uma categoria e outra, a orquestra lembrou vários frevos clássicos. Houve ainda uma apresentação do Balé Popular do Recife, para celebrar o frevo dança, derivado dos golpes da capoeira, mistura de luta e alegria.

Ao final das apresentações, enquanto os votos eram apurados, a secretária de Cultura do Recife, Leda Alves, fez questão de parabenizar cada um dos candidatos e celebrou a disposição e a importância dos 274 inscritos no Festival para assegurar ainda mais fôlego ao frevo. “Esse patrimônio tão rico, grande e forte que é o frevo hoje nos toma por inteiro. Mas o Festival não acaba hoje. Não vai acabar nunca, porque abriu novos caminhos para jovens e velhos compositores”, disse.

Os vencedores foram escolhidos por um júri composto pela violinista da Orquestra Sinfônica do Recife e rabequeira Aglaia Costa; por Marco César, maestro do Coral Edgard Moraes; pelo compositor e fundador da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, Maestro Forró; e pelo clarinetista da Banda Sinfônica do Recife Erilson Oliveira. A comissão julgadora foi presidida pelo maestro da Banda Sinfônica do Recife, Nenéu Liberalquino. Além da avaliação dos jurados, foi computado o voto popular para a composição da nota final. Juntos, os 12 candidatos receberam 6.280 votos aqui pelo site do Festival e pelo aplicativo.

Para fomentar a cadeia produtiva do frevo, o Festival irá assegurar material de trabalho e palco para os vencedores. Os primeiros colocados nas quatro categorias participarão da grade de programação do Festival de Inverno de Garanhuns deste ano e do Carnaval do Recife 2019, além de ganharem ainda uma gravação audiovisual (15 horas em estúdio) da música que defenderam. Os segundo e terceiro lugares também participarão da grade do próximo Carnaval do Recife, sendo que o segundo colocado ganhará ainda uma gravação master da sua música (10 horas de estúdio). O melhor arranjador e o melhor intérprete serão contemplados com a gravação de uma música.

Confira a relação de todos os vencedores:

 

Melhor arranjador: Marcos FM, por Sapecando

 

Melhor intérprete: Ed Carlos

 

Categoria Frevo de Bloco

1º lugar: No Primeiro Dia do Nosso Amor, de Lourenço Gato e Flávio Souza (arranjo de Fábio Valois)

2º lugar: Matando Saudade, de Luiz Gonzaga de Castro (arranjo de Bozó 7 Cordas)

3º lugar: Tempo de Saudade, de Luiz Guimarães (com arranjo de Marcos FM)

 

Categoria Frevo de Rua

1º lugar: Alvoroçado, de Bené Sena

2º lugar: Sapecando, de Marcos FM

3º lugar: Adriana no Frevo e Cia., de Parrô Mello

 

Categoria Frevo Canção

1º lugar: Claudionor, o Menino do Frevo, de Bráulio de Castro e João Araújo (arranjo de Fábio Valois)

2º lugar: Frevo Bregado, de Carlos de Melo Brasil (arranjo de Marcos FM)

3º lugar: Sabor de Rum Hortelã Café, de Edinho Queirós (arranjo de Fábio Valois e Edinho Queirós)

 

Categoria Frevo Livre Instrumental - Autoral

1º lugar: Primeiro de Maio, de Romero Bomfim (arranjo de Parrô Melo)

2º lugar: Tubarão no Circo, de Zé Freire

3º lugar: Frevo da Amizade, de Ronaldo Batata